Vamos começar este texto de forma bem didática para explicar o que é hackathon, assim não corremos o risco de nos perder em meio a tantos termos técnicos e, a princípio, complicados. Combinado?

Pois bem, a palavra Hackathon vem da mistura de outras duas palavras: Hack, do verbo Inglês “to hack”, que significa “cortar”, mas traduzindo para o universo da programação significa programar com excelência, e Marathon, que não tem mistério nenhum, quer dizer maratona mesmo.

Logo, Hackathon é uma maratona de programadores que se propõem a passar horas e às vezes até dias focados na programação de um determinado projeto. Lembrando que, hoje, não apenas os programadores participam dessa imersão. Pessoas de negócios, comunicação, design, etc., também podem participar!

Deu para entender um pouquinho?

Então vamos aprofundar mais nessa maratona que pode gerar produtos e resultados inimagináveis. E acredite, são coisas incríveis mesmo.

Organização: estrutura e etapas para organizar um Hackathon

Segundo a Internet Innovation Digital Business School, o primeiro Hackathon de que se tem notícias aconteceu em 1999 e de lá pra cá esse conceito vem se espalhando mundialmente, tendo inclusive equipes de locais diferentes do mundo se conectando através de maratonas de programação simultâneas. No Brasil esta tendência ganhou espaço no início de 2010, onde o mercado identificou o potencial desses eventos em apresentar projetos e ideias inovadoras, levando empresas fortes como IBM, Bradesco, Petrobrás, Ambev, Serasa, Gerdau, IBGE, FIESP, Serpro e muitas outras a realizarem suas próprias edições.

Perceba: a organização de um Hackathon pode ser realizada por qualquer um que tenha interesse, recursos e disposição. Para que o evento aconteça com foco e apresente resultados, os organizadores precisam primeiramente identificar problemas do dia a dia de trabalho, seja numa empresa, em um projeto isolado, etc. Com base nessas informações, a próxima fase é eleger aqueles que serão solucionados durante a maratona.

Definidos os projetos, a próxima etapa é a formação das equipes. Se o Hackathon for realizado por uma empresa, essas equipes podem ser formadas pelos próprios colaboradores, caso seja um evento externo é a chance de profissionais do mercado – com interesse nas áreas dos projetos escolhidos – se inscreverem. É importante lembrar que nesta fase de formação das equipes, se precisar de uma inscrição mais elaborada, por exemplo, os organizadores precisam estar com isso previsto no planejamento.

Estas etapas acima devem ser organizadas antes do dia do evento. Para o grande dia em si é preciso garantir um espaço com conforto e recursos para as equipes, principalmente se a maratona durar por dias. Além disso, a alimentação é fundamental. Os profissionais estarão focados demais nos trabalhos para se preocuparem com o que vão comer, beber, ou mesmo como vão relaxar. Desta forma, cabe aos organizadores garantir que eles  tenham produtividade inclusive nas horas das pausas.

Por falar em pausas, elas são essenciais. As equipes precisarão fazer pausas estratégicas para diminuir a tensão, relaxar e voltar com foco total. Descontração e respiro são essenciais.

Por fim, um Hackathon chega ao fim quando um júri (escolhido pelos organizadores de forma imparcial) elege o melhor projeto. O resultado é, sem dúvidas, um prêmio para as equipes, mas se os organizadores tiverem uma premiação extra, a motivação é muito maior.

Venda de ingressos

Os Hackathons são eventos que, em sua maioria, são muito aguardados tanto pelos profissionais da área quanto por entusiastas que vêem nestas iniciativas um potencial para promover inovação. Desta forma, é comum estes profissionais terem interesse em acompanhar Hackathons, seja por estarem acontecendo em suas cidades, ou mesmo devido a relevância dos temas.

Para que o público consiga acompanhar a venda de ingressos e ter informações sobre o evento, é importante que a organização crie uma página. Ainda no assunto, é fundamental que você tenha em mãos a gestão da lista com informações dos participantes.

Seja por meio de plataformas digitais ou mailings específicos, a venda de ingressos deve ser uma das partes estratégicas previstas no planejamento do evento. As plataformas digitais para vendas de ingressos são uma boa opção, mas nestes casos é importante deixar a programação disponível para atrair mais interessados nas temáticas. Já com o mailing específico você tem maior chance de atrair pessoas alinhadas com os interesses do seu evento.

E aí, esclarecemos um pouco suas dúvidas sobre os Hackathons? Continue nos acompanhando para ficar sempre por dentro das tendências para o setor de eventos em 2018!